segunda-feira, 4 de agosto de 2008

sem título

brotam vis sentimentos do meu peito
emoção rasgada tingida de verdades tolas
sinto o fedor que provocaram meus gestos ensaiados
e das bocas descodifico respostas que já esperava ouvir

um falso amor pra sair de caixinhas de veludo
tenho nas mãos um presente de ego pra fora
não é que não queria a solidão de cada momento junto a pessoa que Não amo
é que prefiro apodrecer sendo isso e mais nada:

apenas o que pintam de mim.


Sem comentários:

Número total de visualizações de página