sábado, 20 de junho de 2009

um olhar de verdade
cheio dela
cheio de mim
cheio de palavras não ditas

percorre meu coração,
produz sinais por todo o corpo,
se pinta nos músculos do rosto
e viaja pelo ar até os teus olhos.

míopes, eles mal me enxergam
quem dirá tamanha verdade?
então, os meus cintilantes perdem o brilho
e começam a contar outras histórias.

mas um rastro de verdade
as acompanhará por debaixo das suas sombras
e quem sabe um dia os saudosos óculos voltem ao teu rosto...

espero que enxergando, não desvies o olhar.


soante

Número total de visualizações de página