sábado, 22 de setembro de 2007

podre ser


Sou fruta mordida

Do velho sabor conhecida

Entre estranhas

Rasga-me os dentes

Perco-me em sensações

São milhares de sabores

Até os que não me cabem

Fruta mordida

Em contato com saliva

Estragada pela vida

Amortecida ou iludida

Fruta com verme

Ou verme de fruta

Misturo-me pouco

Ou pouco me importo com a mistura.

O que importa, sobre o fungo que me decepa

É o sabor do bolor

Na boca de quem morde

Amarga serei

Ou não...

O que serei então:

A fruta mordida ?

Quem morde a fruta?

Ou o podre sabor que fica na boca de quem morde?



3 comentários:

C. disse...

Querido, que bom ter você aqui!
Sempre bom mais um amigo percorrendo caminhos literários com a gente. haha
és meu Todynho!

aqui, meus lugares. fique a vontade que a casa eh sua:

www.poemastardios.blogspot.com
www.lisaviajante.blogspot.com

Pia direitinho, pra ver bem quem escreve em cada qual.
beijo grande
=**

Ariella Rayder disse...

hahahah

legal =)

GOSTEI

heheh e o desenho bem no final da tela

é uma onda

bjs ariella

Sophie disse...

A fruta ou quem morde. Talvez o que sobra na boca, mas não amargo. Talvez.

Beijos

Número total de visualizações de página